30 de nov de 2011

Garcia & Rodrigues

Por uma daquelas ironias da vida, o carioquíssimo Garcia & Rodrigues fechou seu tradicional ponto no Leblon e abriu uma filial em São Paulo, no novo Shopping Vila Olímpia. O Garcia & Rodrigues é uma espécie de brasserie/restaurante, com vitrines de encher os olhos, e serve desde lanches até pratos mais sofisticados.
Para pessoas-carboidratos como eu, a vitrine de pães é de chorar de emoção. Logo na entrada, os doces e os pães ficam à vista e, por ali, em uma ambiente super aconchegante, com muita madeira e piso de ladrilhos hidráulicos, são servidos pratos rápidos. Na minha primeira visita fiquei por ali e degustei um hot dog granfino delicioso, com salsichão, brie e mostarda Dijon.
Da segunda, acompanhada do marido, fomos provar os pratos do restaurante, que também é muito agradável. No centro do restaurante há uma ilha-bar, de onde saem várias caipirinhas de frutas. No cardápio, pescados, carnes e aves e massas, ou seja, de tudo um pouco, para todos os gostos.
O marido estava inspirado e escolheu a codorna ao forno com pêras e uvas e eu fui de... carboidrato, fettuccini com cogumelos.
Para facilitar a vida agora nas festas de final de ano, o Garcia & Rodrigues pode ser uma boa pedida. Eles também têm uma rotisserie e preparam patês, terrines, foie gras e canapés diversos. Delícia.

28 de nov de 2011

Festa bailarina da Maria Renata

No final de semana, minha filha Lorena perguntou quem eram minhas irmãs e eu respondi: tia Gabi, tia Mari e tia Fafá. Daí, em seguida, ela disse: As minhas são a Laurinha, a Vi e a Mazuca. Não com essa perfeição de conjugação, mas fato é que a Mazuca, apelido da Maria Renata, é uma das pessoas mais queridas por ela - e por todos de casa, claro. Sempre me ajuda com a Lola, apesar de ter apenas 10 anos. Ela é aquela menina delicada, que ama Barbies, girafas (!) e balé. Então, para sua festa de dez anos, não tinha como não ter o tema bailarina.
Mazuca tem sorte de ter uma mãe prendada, especialista em bolinhos e bolões - como se vê no Cupcakes da Cris. Daí já é mais da metade do caminho andado, não? A Cris fez tudo: bolo de chocolate delícia, cupcakes e minicupcakes, brigadeiro no potinho e na colher, com direito a lacinho de tule na ponta de cada colher. E a vó da Mazuca fez uma roupa nova para a boneca de pano, que deu charme extra à mesa.
A inspiração veio de vários blogs da internet, como o Chocolatria, incluindo o desenho fofo da bailarina equilibrando cupcakes - a cara da Maria. Os cupcakes ganharam wraps de bolinhas e enfeites de coroas e de sapatilhas.
Na mesa, uma toalha branca básica. As louças também eram neutras, pratos de aperitivos acomodaram docinhos. Para enfeitar, Cris e a tia Paty usaram algumas pétalas de rosa e muitos pompons de papel de seda. Um truque simples que faz o maior efeito - e substitui lindamente as bexigas. Aqui em casa, na Festa baiana de 2 anos da Lorena eu também usei esse truque dos pompons, só que em versão maior.
Detalhe para a gota de brigadeiro na colher e da mesa, com os pompons rosa de papel de seda.
De lembrancinha, cada convidado levou um cupcake delícia, bolo branco com recheio de geleia de morango, o preferido da Maria Renata. 
* Festa é sempre a melhor maneira de animar, não é não? Por isso, com a festa linda da Mazuca, eu sacudo a poeira do blog. =D

8 de nov de 2011

Home office de verdade

Quando eu e o marido projetamos nossa casa, criamos no projeto um espaço para o meu escritório, já que sabia que, a curto prazo, iria abandonar a redação para trabalhar em casa. Então, pensamos em um lugar isolado, onde ninguém pudesse me incomodar e eu pudesse me concentrar. Minha casa tem dois pisos: o térreo, onde fica cozinha, garagem, quintal e quartos, e, um segundo, onde está meu quarto e o meu à-prova-de-interrupções escritório, que, aliás, tem uma vista linda da cidade.
Mas a prática muitas vezes é diferente da teoria e, desde que minha filha nasceu e virou um ser andante e cheio de vontades, eu não conseguia mais me isolar. Ela gosta de me ter em seu campo de visão e não dava para ficar escondida. Então, passei a trabalhar na mesa de jantar - nada ideal. Até que o marido foi buscar na casa da avó dele uma escrivaninha antiga, abandonadinha, com pouco mais de um metro, e a reformou para mim.
Ela encaixou no quarto de hóspedes, que fica ao lado do quarto da pequena. A mudança foi a prova de que não é preciso de um cômodo exclusivo para montar um home office, nem muito espaço, não mesmo. A minha escrivaninha lindona tem gavetas bem fundas e, para empilhar as muitas revistas que tenho, uso e faço, o marido fez um nicho grande, que acompanhou o tamanho dela. Bem simples e ótima para guardar muitas revistas e ainda alguns cacarecos.

Não consegui ainda ter um home office clean daqueles de revista, sabe? Com bancada branca, um notebook e não mais do que quatro objetos sobre a mesa. Esse meu home office é de verdade, é lá que eu bato meu cartão e trabalho todos os dias - e alguns finais de semana também.
Para guardar meus cacarecos e quinquilharias, latas de manteiga Aviação (quem quiser, avisa, o consumo em casa é intenso!), latas de Campbell's, uma de ovo de Páscoa, que guarda as contas a pagar, e alguns bonecos, como o Lampião e a Maria Bonita, que me acompanham há anos, filmes de Lomo a revelar, e uma tentativa de coleção daqueles bonequinhos da nossa infância, sabe qual?
No andar de cima do nicho, alguns brinquedos, como a forca para momentos de stress, e outros objetos de madeira: aquelas casinhas em miniatura de Embu das Artes e uma escultura de um artista alagoano de um oleiro com uma pilha de tijolos. Na mesa, latas com muitas canetas, tesoura, marca-texto e minha coleção de lápis. Por enquanto, minha empresa tem menos de dois metros quadrados. É um bom começo.

7 de nov de 2011

Arroz à Palmirinha

À Palmirinha é a forma simpática de dizer que, na verdade, este é um arroz de sobras, arroz com cara de segunda-feira. Sabe quando você faz churrasco no final de semana e sobra um tico de linguiça, um tico de frango, umas fatias de picanha? Então, a minha experiência mostra que nunca sobra o suficiente para outro churrasco e é besteira congelar.

Um domingo destes raros de sol, o marido fez um churrasco para os amigos e sobraram alguns gomos de linguiça e coxas e asinhas de frango já temperadas. A saída foi fazer na segunda-feira um arroz, como aquele arroz com frango ou o arroz com suã, prato único, vapt-vupt, de sobfra sim, mas de sobra honesta, fresquinha e deliciosa.

Arroz à Palmirinha com frango e linguiça
O que usar:
Para 4 pessoas:
- 3 xícaras de arroz;
- 1 cebola grande picada;
- 2 tomates maduros picados;
- 500 g de asinha e coxa de frango temperada;
- 5 gomos de linguiça;
- cheiro verde;
- sal a gosto;

Como fazer:
Frite o frango em uma panela de fundo grosso com o mínimo de óleo possível. Quando ele tiver frito, jogue fora o excesso de óleo e refogue a cebola picadinha. Depois, junte o tomate e, depois de alguns minutos, o arroz. Reserve. Eu preferi fritar a linguiça separadamente, também para eliminar o excesso de gordura. Fritei os gomos inteiros até eles ficarem tenros. Piquei e fatias e fritei mais um pouco. Juntei ao arroz e coloquei seis xícaras de água e sal para fazer o arroz. Na hora que o arroz tiver al dente, desligue a panela e deixe o arroz descansar por alguns minutos.

3 de nov de 2011

Bolo de brigadeiro e ouro branco

Dá uma olhada no recheio, de brigadeiro e chantilly, bem cremoso e gelado. Eis mais um lindo bolo da minha boleira preferida, a Cris, especialista em bolinhos e bolões. Este aí da foto ela fez para o aniversário do marido. A receita do bolo de chocolate é aquela básica, com um truque que há tempos já aprendi com ela: creme de leite na massa, para ela ficar mais macia. Na cobertura, além de brigadeiro e chantilly, raspas de chocolate e bombom laminado. Vou confessar, enquanto eu não acabei com ele, eu não tive paz. Demorou quase uma semana, mas venci, devorei tudo. Recomendo.

Bolo de brigadeiro e ouro branco
O que usar:
Massa:
- 4 ovos;
- 4 colheres de sopa de margarina;
- 2 xíc. de açúcar;
- 2 xíc. de farinha de trigo;
- 1 colher de sobremesa de fermento;
- 1 xíc. de chocolate em pó;
- 1 caixa de creme de leite;

Como fazer:
Bata primeiro o açúcar peneirado e a margarina, até a mistura dobrar de tamanho. Acrescente os ovos inteiros. Ainda na batedeira, junte a farinha e o chocolate peneirado e o creme de leite, que vai deixar a massa molhadinha. Misture o fermento com uma espátula, sem bater, e leve ao forno (200º) em uma assadeira untada por cerca de 30 minutos.

Recheio:
O que usar:
2 receitas de brigadeiro:
- 2 col. margarina;
- 2 lata de leite condensado;
- 4 col. de chocolate em pó;
- chantilly (descubra aqui como fazer chantilly - com e - sem traumas);
- raspas de chocolate e bombom ouro branco (para decorar); 

Como fazer:
Após assar o bolo, deixe-o esfriando enquanto começa a fazer a cobertura. Quando o bolo estiver frio (para não despedaçar), corte-o ao meio. Faça o brigadeiro - manteiga+leite condensado+chocolate na panela. Bata o chantilly. Comece a montar o bolo com uma camada grossa de brigadeiro e, por cima, uma camada fina de chantilly. Guarde um pouco do recheio para cobrir o bolo. Monte o bolo e cubra com o restante de brigadeiro e de chantilly. Para finalizar, coloque raspas de chocolate e bombons ouro branco cortados bem fininhos. Leve para a geladeira e sirva depois de alguma horinhas.