31 de mai de 2012

Frango com (farofa de) banana

O meu passado Frango com Banana bateu à porta no último fim de semana. Estava na maior arrumação em casa, tentando colocar as coisas em ordem antes da chegada da Anita, e me deu aquela vontade de comer comidinha gostosa. Na correria, não tive dúvida e liguei para ao açougue para reservar um frango de televisão de cachorro. Foi só descongelar uma porção de feijão, fazer uma salada, o arroz e a farofa de banana, que eu amo. Delícia. 
Farofa de banana
Para 4 pessoas
O que usar:
- bacon - o quanto sua consciência permitir;
- 1 cebola picada;
- 2 xíc. de farinha de mandioca;
- 2 bananas nanicas;
- passas (opcional);
- sal;
- salsinha picada;

Como fazer:
Refogue o bacon no mínimo de óleo, junte a cebola e, quando estiver refogada, a farinha. Coloque a banana  picada e as passas e mexa até a banana dar uma leve amolecida. Tempere com sal e salsinha. E pronto.

29 de mai de 2012

Lampião & Maria Bonita

Não tem mãe que sonhou em ser miss e agora tenta superar sua frustração e sonha com a filha miss? Pois é, eu também tenho isso. Mas, em vez de miss, sempre sonhei em me fantasiar de Maria Bonita, ao lado do meu Lampião, claro. Mas, ano após ano, os carnavais passam, nós ficamos cada vez mais velhos e nada de nós fazermos a fantasia. Foi por isso que quando vi este vestido junino da Bicho Brasil já fui comprando para a minha pequena -e para sua parceira Laurinha.
O vestido é lindo, super bem feito, e com detalhes de arrasar, como os tecidos estampados com cordéis na barra e um mini-livro com um trecho sobre Lampião e Maria Bonita, uma fofura só. O preço, confesso, não é dos mais amigáveis. Mas vamos pensar sustentavelmente, se a Lola usar o vestido duas vezes este ano, duas ano que vem. E a Anita usar duas vezes no ano seguinte e mais duas em 2015, ele vai ter valido a pena. Detalhe para a embalagem de chapéu de palha. =)
* Na minha casa existe a lenda de um vestido de caipirinha laranja, que foi usado pela minha irmã mais velha até a mais nova. Ao todo, quatro filhas, sem contar as primas e amigas que também usufruíram do modelito.

22 de mai de 2012

Bolo de maçã e canela Carla Pernambuco

Eu adoro comprar livro de culinária para criança. Sempre penso que, se a receita é para criança, eu que já passei dos 30 não vou errar. E finjo fazer investimento para a biblioteca da minha filha. Desde que vi que a Carla Pernambuco lançou mais um livro de receita kids fiquei tentada. Não comprei As deliciosas férias de Beatriz pela internet porque queria folheá-lo, mas daí fui comprar um vestido na Green para a Lola e acabei ganhando o livro. Perfeito!

Acontece que o livro não é aquela coisa incrível, fofa e delicada do Juju na Cozinha do Carlota. Apesar de estampar o nome da Carla Pernambuco na capa, o livro é escrito por Pablo Alejandro Fabián, com receitas da Carla-Carlota. Meio decepcionante, achei. Mas folheando o livro encontrei a receita de um bolo de maçã bem simples. Fiz o check list na despensa e lá fui eu para a cozinha. O bolo é daquele estilo mais pedaçudo, que até desmancha na hora de cortá-lo, mas deixa um perfume incrível na cozinha. Bem saboroso.
O que usar:
- 5 col. (sopa) de manteiga;
- 1 xíc. de açúcar mascavo;
- 3 ovos;
- 3 maçãs picadinhas com casca;
- 1 col. (sopa) de canela;
- 1 col. (café) de noz moscada;
- 1 col. (sopa) de raspas de casca de limão;
- 1 xíc. de aveia em flocos finos;
- 1 col. (sopa) de fermento em pó;
- 1 e 1/2 xíc. de farinha de trigo integral (usei a normal);
- 1 xíc. de passas sem sementes;

Como fazer:
Bata a manteiga com o açúcar. Junte os ovos um a um, bata bem. Acrescente a canela, raspas do limão e noz moscada. Desligue a batedeira e junte a maçã, as passas, a farinha, aveia e o fermento. Leve ao forno por 30 minutos a 160 graus em uma forma untada. Polvilhe a superfície do bolo com açúcar e canela.
* Ninguém vai maldizer meu bolo porque as maçãs decorativas grudaram na forma, né? Por isso, na hora de untar a forma, capriche na manteiga no fundo para não acontecer o mesmo e também enfarinhe o lado da maçã que ficará em contato com a forma. Devia ter polvilhado açúcar para disfarçar e enganar vocês, mas falhei!
** O livro é simpático, mas eu ainda sou muito mais fã do Juju na Cozinha do Carlota. E acho que o livro da Beatriz poderia ter na capa o nome do autor e, ao lado, algo como "Receitas de Carla Pernambuco".

20 de mai de 2012

Vestidos para crianças (de verdade)

Na busca por tecidos para o enxoval da Anita, minha filha número 2, me enfiei no Etsy, um portal bem famoso que reúne pequenos varejistas do mundo todo. Grande parte dos produtos são artesanais e, melhor, de bom gosto. Foi lá que eu encontrei os vestidos lindos da Wild Things - Funky Little Dresses. Quando vi, pirei e já fui comprando. 
Os vestidos deram uma pequena volta ao mundo. Era para eles fazerem o percurso Inglaterra-Espanha em 10 dias, mas demoraram mais de um mês. Por isso, não consegui pegá-los quando estive na Espanha e, depois, minha irmã teve de colocá-los de novo no correio - mais alguns dias e eles, finalmente, chegaram ao Brasil. O ratinho a Lola já estreou. E a raposa e o pintinho ainda vão encontrar as suas donas.

Eu não sou uma mãe prendada, mas quem é pode se inspirar e tentar fazer essas fofuras em casa. No Brasil, bem que podiam voltar ao passado e desenvolverem vestidos com cara de criança e não reproduzir a moda adulta na versão mirim, né não? Menos babado e brilho e mais diversão.

18 de mai de 2012

Baby Bum, o Mercado Mundo Mix Kids

Até domingo está rolando em São Paulo, na Vila Leopoldina, a feira Baby Bum. Para quem é de das antigas, uma espécie de Mundo Mix Kids, com muitas marcas de roupas, decoração e enxoval que ainda estão começando - a maioria não tem loja física e trabalha apenas no mercado online. O espaço está bem organizado, desde o estacionamento (R$ 22) até o funcionamento. Você visita o estande e, se decide comprar, paga todas as fichas em um único caixa - e cada ficha tem a cor do corredor da feira. Bem legal. Ainda tem espaço com atividades para as crianças.

A Baby Bum não é uma feira de pechincha. Eu, ao menos, não pago R$ 80 em um tapa fraldas, por mais importado e incrível que ele seja. Há roupas carinhas, sim, mas dá para encontrar por lá bons achados - ou simplesmente não resistir às fofuras de preços salgados, como o vestido de festa junina à Maria Bonita da Bicho Brasil.
Para quem está grávida, tem muita mala linda para a maternidade, ideias para enxoval e cada bichinho e almofada fofo! Abaixo segue uma breve seleção do que achei mais bacana.
Moda:
Matraca ganhou meu coração. Eu e o meu bolso ficamos gratas por encontrar uma marca para meninas com roupas lindas e alegres com preços simpáticos. Vestidos para meninas (cerca de R$ 65) de até 8 anos e algumas opções para mães também;
Ilha Dodô marca parceira do blog, que faz roupas confortáveis para meninos e meninas, sem distinção. No estande tem bodies, mantinhas e babadores;
Pinguino 100% para meninos. Alguém teria de se preocupar com as mães de meninos, não? E as roupas da Pinguino são confortáveis e com estampas super legais. Macacão quentinho e descolado para os pequetitos;
Tchunga tem pijamas de superpoderosos, bodies de desenhos e ainda roupas/fantasias que, vai por mim, se você comprar seu filho não vai querer tirar;
Spirodiro na linha roupa/fantasia ou roupas para brincar, como diz o slogan;
Decoração:
Frappé é quem faz essas almofadas rock'n roll, como a da Amy Cream, Leite Gaga e do Milk Jagger. Minha comadre Fran ainda comprou uma mochila de caixa de amplificador Marshmallow para seus meninos arrasarem;
Uauá Baby também tem almofadas fofas, de cupcakes, brigadeiros e ainda desenvolve enxovais com tecidos bem bacanas;
Supersoniko o estande não tem a variedade da loja virtual, mas tem pôsters lindos a preços justos (cerca de R$ 50);
- Família Ripinica bichos de crochê estão na moda, certo? Lá tem algumas opções, além de charmosos Divinos de feltro - que estarão no quarto da Anita;
Caracou bichos de tecidos estampados lindos;
Minimimo para quem curte festas de aniversário com gosto caseiro. Mesas enfeitadas com bonecos de feltro e toalhas decoradas que mais parecem casinha de bonecas;
Prêmio criatividade levou o pessoal da Quentinha (CraftStudio), que lança site no próximo mês. No estande estão sendo vendidas caixas de atividades, como de customização de camisetas, para fazer blocos de anotações, bonecas de pano, pingentes etc. Tudo vem embalado e etiquetado com charme na caixinha, que traz todos os acessórios necessários e manual. Presente criativo a partir de R$ 50. 
* A Baby Bum estará aberta sábado e domingo, das 10 ás 20 horas. Mais informações no site Baby Bum. Quem não puder ir à feira, pode pegar no site o contato de todos os expositores.

16 de mai de 2012

Qual é o livro da sua infância?

Aquele papo furado do Saia Justa rendeu uma ótima conversa dia desses em casa. Na roda, eles começaram a discutir o livro que marcou a infância de cada um. E eu, do outro lado, comecei a relembrar com o marido os livros que mais amávamos quando éramos pequenos. Na hora, me deu um insight e me lembrei do Maneco Caneco Chapéu de Funil, de Luís Camargo, lançado em 1979, um ano depois que eu nasci.

Com o computador do lado, na hora o localizei na Livraria Cultura. O curioso é que anos antes eu já havia procurado o livro sem sucesso. Desta vez, encontrei também o preferido do marido, Vaca Voadora, que se encaixa mais na categoria infanto-juvenil.
A nossa vontade era resgatar as boas recordações e ler os livros para a nossa filha, claro. E também ver se, uma geração depois, ele ainda continuava encantador. Quando o meu Maneco Caneco chegou eu não acreditei, que nostalgia! O livro conta a história de uma escumadeira que morava em uma cozinha onde nunca se cozinhava nada, "nem um nadinha de nada", e que cansou de não fazer nada e foi embora. Até encontrar a concha, a caneca, a pá e a vassoura, o cabide e se transformar no tal do Maneco Caneco. História bem simples e deliciosa. Lorena amou e eu mais ainda.
O melhor é que lá no livro está uma música que, por esses anos todos, eu continuei cantando, inconscientemente. Quando leu o livro, o marido morreu de rir de ver que a música era do livro. =)

* Nos comentários, aceito recomendações nostálgicas de livros infantis. E aí, qual foi o livro da sua infância?

14 de mai de 2012

Pavê de pêssego

No Dia das Mães, fiquei com vontade de comer aquelas sobremesas de antigamente, sabe? Daí me veio na minha memória o pavê de pêssego da minha mãe. - Mãe, como é a receita do pavê? - Ah, é só fazer aquele creminho com gemas... Mas eu não sei fazer creminho nenhum sem receita certa. E foi então que ela resgatou  na gaveta uma revista de 1900 e bolinha com a receita. E eu acreditei. Fiasco total. Eu e Lola na cozinha e tudo desandando, no melhor estilo "mamãe, mamãe, mamãe, eu te lembro o chinelo na mão; avental todo sujo de ovo!".

Algumas latas desperdiçadas de leite condensado e creme de leite depois, decidi fazer um mix de receitas da internet com a que estava na caixinha do leite Moça. Vou confessar, não ficou igual ao da minha mãe, mas ficou bem bom, menos doce, apesar de todo açúcar e leite condensado. Fez sucesso - papi diabético comeu dois potinhos - e eu matei minha vontade.
Pavê de pêssego
Para oito porções
O que usar:
Para o creme
- 3 gemas;
- 1/2 col. (sopa) rasa de Maizena;
- 1 lata de leite condensado;
- 1 lata de creme de leite;
- a mesma medida de leite;

Para a cobertura:
Fazer chantilly com 500 ml de creme de leite fresco gelado e 4 col. (sopa) de açúcar. Receita passo a passo aqui.
OU
- 3 claras;
- 5 col. (sopa) de açúcar;
- 1 lata de creme de leite;

Mais:
- 1 pacote de bolacha champagne;
- 1 lata de pêssego em caldas (usei 2);
- amêndoas laminadas para finalizar;

Como fazer:
1. Separe as gemas das claras. Em uma panela, junte as gemas, o leite e a Maizena (vale dissolver a Maizena no leite antes). Mexa sem parar até o creme engrossar. Dica: fique esperta! =) Desligue o fogo e junte o leite condensado e, quando o creme tiver amornado, o creme de leite. Reserve.
2. Bata as claras na batedeira, adicione o açúcar e, sem bater, o creme de leite. De cobertura eu também usei o mesmo creme do recheio em alguns potinhos...
3. Corte os pêssegos em lâminas e regue as bolachas na calda do pêssego.
4. Monte em camadas: bolachas úmidas, pêssegos, creme; bolachas, pêssegos, creme. E finalize com pêssegos e amêndoas laminadas.
5. Leve à geladeira por, no mínimo, seis horas. De preferência, faça a receita de véspera. E bom revival para você.

8 de mai de 2012

Viajar com crianças (e grávida) - Antes de ir

- Mas você vai viajar barriguda assim? Que coragem!
Confesso que não me achei em um grande ato de bravura ao decidir viajar no sexto para o sétimo mês de gestação com minha família pela Europa, me achei é esperta por poder viajar em um momento tão bacana da minha vida.

Não havia feito viagens longas grávida - nem com filhos -, mas voltei realizada e feliz. Foram quase 20 dias entre Espanha e França, um roteiro "de adulto" para muitos. Mas nos próximos posts eu vou provar que a Europa é um continente ideal para crianças, onde estão os parquinhos mais incríveis do mundo! Para começar o passeio, fiz uma lista com 10 dicas para quem está organizando uma viagem longa. É uma delícia viajar, mas é bom se prevenir para não que nada atrapalhe seus dias de descanso!
1. POUCOS DESTINOS. Nas férias a rotina da criança muda totalmente e elas cansam mais, claro. Por isso, quando estávamos preparando nosso roteiro, estipulei que faríamos poucos destinos. Aquela história de alugar um carro e sair sem rumo por aí é uma delícia, mas, para mim, não rolava neste momento. Por isso, em 17 dias estivemos em 4 cidades. E foi ótimo.

2. HOTÉIS COM CRIANÇAS. Eis uma dificuldade que não conhecíamos. Na Europa, como os hotéis são em prédios antigos, é bem difícil encontrar hotéis que aceitem cama extra no quarto, pelo simples fato de não haver espaço físico. E, para piorar, muitas das grandes redes cobram taxa extra para crianças acima de 2 anos. Não existe uma regra, cada hotel tem seu regulamento. A saída é pesquisar muito para se garantir - e não ter gastos extras desnecessários. Todas nossas reservas foram feitas pelo Booking.com.

* A última novidade é o site AirBnB, uma mistura de Booking com rede social. Você se cadastra e procura apartamentos para alugar. O dono analisa o seu perfil e aceita ou não sua proposta. Tem apartamentos lindos a preços incríveis. Vale a pena pesquisar com antecedência!
3. RESERVE TUDO. Na nossa viagem nos locomovemos basicamente de trem; foi ótimo e prático. Daqui do Brasil, pela internet, compramos todos os tickets, incluindo do único vôo interno que fizemos.

4. BAGAGEM. Éramos quatro pessoas, incluindo um bebê na barriga e uma criança fora dela. Então, nos contivemos na hora de fazer as malas. Fomos com duas malas grandes mais o carrinho e uma mochila. Assim, foi fácil na hora de ir de uma cidade para outra. Mas criança suja muita roupa! Suja e eu acabei aproveitando a estadia na casa da minha irmã e lavei algumas peças coringas, mas na viagem também sempre compramos umas coisinhas a mais e sempre há por perto uma H&M para nos salvar.

5. SEGURO SAÚDE VIAGEM. Sempre faço um seguro à parte e, confesso, sempre de última hora. Vacilei na hora de comprar as passagens - alguns cartões "dão" seguro - e tive de fazer seguro por conta. O grande problema é que a maioria dos seguros não cobrem seguradas grávidas e, bem poucos deles, aceitam seguradas grávidas acima de 20 semanas. Paguei três vezes a mais do que um seguro normal. Fiquei rendida e não tive opção porque não tinha mais tempo. Por isso, fiquem atentas.
6. CARTA MÉDICA. Uma amiga comentou que uma amiga dela foi, uma vez, impedida de embarcar porque estava barriguda e não tinha carta do médico. Teve de ficar na cidade, fazer um ultrasom lá com um médico 'x' que dissesse que ela estava apta para viajar. No meu e-ticket do vôo interno, havia todas as recomendações: gestantes acima de 27 semanas precisam de carta médica. Eu estava no limite e, mesmo assim, levei. Mas quem encrespou comigo foi a TAM, no vôo de volta. Mostrei a cartinha, eles duvidaram da minha pessoa!, fizeram uma reuniãozinha e me liberaram. A burocracia da TAM não está no e-ticket, mas está aqui. Por isso, confira na companhia em que vai viajar todos os pormenores.

7. ASSENTO CONFORTO. Para quem não pode viajar de executiva há na vida de sardinha um novo aliado, os chamados assentos conforto, aqueles que dividem as alas e têm um espaço a mais. Para gestantes e crianças de até 2 anos (que vão no colo) eles são gratuitos e garantidos, mas também é possível pagar por eles. São centímetros a mais que fazem toda a diferença. Dá, por exemplo, para você esticar as pernas! Em vôos longos, eu recomendo. Em média, para viagens para os EUA custam US$ 70 e, para a Europa, US$ 110. Não é possível fazer reserva prévia, por isso, chegue cedo para fazer o check in.

* É bom ficar esperta e saber dos seus direitos porque nenhum atendente do balcão de check in informa sobre os assentos confortos porque muitas companhias, como a TAM, fizeram do espaço uma fonte de renda extra. Nas últimas férias eu solicitei não só o assento como o berço, que pode ser acoplado na parede e...surpresa! A TAM agora cobra agora US$ 85 por trecho (SP-NY) pelo berço. Absurdo! Na ida fiquei em uma poltrona que não havia como usar o berço e Anita foi no meu colo, mas na volta ganhei o berço de graça no grito, com a ajuda das colegas do lado que acharam um absurdo a cobrança. Para quem viaja com crianças vale analisar como funciona em cada companhia e, daí sim, decidir pela qual viajar.
8. CARRINHO. Lorena está com 3 anos e há muito tempo já aposentei o carrinho dela. Na verdade, nunca usei muito o carrinho. Quando ela era bebê, era adepta do sling e, onde moro, é tanto sobe e desce que não costumava passear a pé. Por isso, tive de fazer um exercício para convencê-la que carrinho é legal e não só para bebês. Achei que ela iria ficar reticente, mas ela aceitou de boa e ficou 80% do tempo no carrinho. Não que tenha dormido, mas viu que, sentadinha, também podia aproveitar a viagem e não se cansar. Fora que o carrinho ajuda muito na hora de guardar casacos e cacarecos.

* Viajando com duas, nas últimas férias levei um carrinho e comprei na viagem um outro bem baratinho. Me diziam que vendiam em farmácia e eu não acreditei, mas é verdade. Nas grandes redes dos Estados Unidos há carrinhos por menos de US$ 20. Super prático e leve, agora o meu baratex mora no meu porta-malas.

9. KIT GRÁVIDA. Aos seis para os sete meses de gestação a barriga já pesa um pouco e as pernas incham. E andar, andar e andar, cansa um pouquinho mais. Eu passei bem, fiz tudo o que quis, e acho que a barrigueira, aquela cinta elástica que ajuda a sustentar a barriga, e as mal faladas meias Kendall foram muito úteis, ainda mais que estava friozinho. Também é bom levar uma necessaire com todos os remédios indicados pelo seu médico, claro.
10. KIT DISTRAÇÃO PARA O AVIÃO/TREM. Levei uma mochila da Lorena com tudo o que ela mais gosta: DVDs preferidos, livros, estojo com lápis de cor e caderninhos de desenhos. Outra dica, de uma amiga-mãe-dentista, também surte bom efeito: balas e chicletes! São infalíveis!

7 de mai de 2012

Pan con tomate

Voltei de férias há duas semanas, mas ainda não consegui parar de comer pão com tomate, o café da manhã clássico da Espanha. Amo tomate e, o que parece estranho para alguns, para mim é a combinação perfeita. Tomate maduro sem pele e sem tempero batido no mixer sobre um pão tostado. Aqui em casa às vezes já deixamos o tomate batido pronto na geladeira e daí é só torrar o pão para, depois, espalhar o tomate e regar com azeite, sal - e pimenta se for o caso. É muito, muito, bom. Eu amo e recomendo.
* A amiga Tati, que está há uma temporada na Espanha e também aprendeu a amar pão com tomate, diz que, diferentemente de mim, ela rala o tomate com casca e sem sementes, para ele ficar mais grossinho.