24 de mar de 2014

Quarto da Anita bebê

Acho que decorar é como escrever, a prática te leva a ter mais segurança. E, ao decorar o quarto da Anita bebê, eu não fiquei muito preocupada se uma coisa iria combinar com a outra, mas em reunir coisas que eu gosto, que já tinha ou que acumulei no período da gestação. O quarto de visitas aqui de casa, onde ficava o meu escritório, se transformou no quarto da Anita, que já saiu em vantagem, com poltrona (Tok&Stok) e berço vagão (projeto do marido) - ambos herdados do quarto da irmã mais velha. 
A minha ideia inicial era uma parede cinza escura, tecidos bem alegres e cacarecos. E morando no interior e com pouco tempo, a saída foi pesquisar e comprar pela internet. Os tecidos vieram da Monaluna, marca californiana incrível que eu fiz post especial aqui. Com a grande vantagem de ter na época uma irmã morando na Europa, acabei comprando alguns detalhes e enviando para lá. 
Antes de saber se era Anita ou Anito, em São Paulo, em uma destas lojas de decoração descoladas e caras, vi um pôster de insetos e me apaixonei. Mas o quadro custava R$ 300. Deixei passar, tentei esquecer, mas inquieta que sou, achei o mesmo pôster em um site francês, Smallable, por menos de 11 euros. Na verdade, eu queria morar neste site, visito até hoje, mas sem a facilidade de um endereço gringo - e sem euro no bolso -, só dá para ficar babando.
No mesmo site vi o segundo objeto comprado para o quarto, uma cabeça de alce de crochê da designer Anne-Claire Petit. Delicada, linda! Quando fui visitar minha irmã na Espanha, aos sete meses de gestação, peguei meu alce e comprei os outros dois quadrinhos: uma aquarela de uma artista comprada às margens do Sena, em Paris, e um jogo americano (sim, de plástico) lindo da artista Isabelle Kessedjian, que não custou nem R$ 10 e rendeu um quadro fofo demais - Lola também ganhou um. 
Com a letra A linda, pintada pelo marido de vermelho (do site V2Z Ideias), montei um painel que tem cara de criança, não de bebê. E esta é a melhor dica que eu posso dar: invista em uma decoração que perdure. Com sorte, o quarto com decoração de bebê vai durar, no máximo, por três anos. 
Aqui em casa já vamos ter de adaptá-lo para uma menininha. Anita bateu recorde de independência por aqui e, com 1 ano e 8 meses, não quer mais berço, nem que seja sem grade. Não quer mais carrinho, quer dormir no colchão ou no almofadão e, por isso, vai ganhar uma caminha nova. 
O berço vai dar espaço para uma cama e o que fazer com o jogo de berço? O da Anita foi feito por uma costureira da minha cidade, ficou lindo, mas confesso que quase não usei. Hoje não investiria nisso não e guardaria os tecidos para um edredon mais definitivo. 
Para fechar o quarto, a cômoda projetada pelo marido (puxadores Zara Home), que poderá depois ser usada em outro espaço. Em cima dela, máscaras também compradas na viagem. Em outro canto, cabideiro feito também pelo marido (viva o marido!), vestido Wild Things de raposa (já escrevi sobre eles aqui) e uma placa de metal comprada em uma floricultura de Paris que usei de porta-maternidade (très chic!).
E daí eu te pergunto, qual é o tema da decoração do quarto da Anita? Maçã? Animais? Cores vermelha e azul? É tudo isso junto - e eu gosto bastante!