9 de mai de 2013

Fábrica de Cultura e os 4 anos da Chloe

A Soraya, idealizadora da Fábrica de Cultura Santo Antonio, é daquelas criativas natas. Antes da internet, antes de ter este monte de blog de decoração para a gente se inspirar (e copiar...), ela já fazia coisas lindas, instintivamente. Herança do pai artista e criatividade e bom gosto que já transcenderam mais uma geração.
Há menos de um ano ela decidiu transformar um barracão onde antes funcionava a marcenaria de um amigo em um espaço dedicado a cultura. É um lugar simples, onde todo mundo se sente à vontade, seja para comer um bolo caseiro, para tomar uma cerveja dentro ou nas mesas que ficam na calçada larga, de frente a uma avenida bonita de Tatuí.
Naquele estilo cacareco para todo lado, a cada visita descobre-se algo novo. Pelo amontoado de coisas e também porque ela não se aquieta e vive acumulando mais e mais. E vendendo o que o cliente quiser, sem apego. Os móveis mudam de lugar, as exposições de artistas da região entram e saem e, há alguns meses, quase todos os dias a Fábrica de Cultura virou point de músicos. Tem a turma do jazz, da MPB, do samba e dos chorinho e até do hip hop, dependendo do dia.
Coleções de óculos Ray Ban, de rádios antigos, de máquinas fotográficas, de tranqueiras do Mc Lanche Feliz da sua filha Sofia, tudo tem espaço. Até um par de patins 80tinha! Quando vi na vitrine quase briguei com a minha mãe por ter me convencido a doar o meu. Iria ficar demais na minha sala e ainda daria para eu me exibir, com provas, para minhas filhas.
Semana passada, a Soraya-mente-aberta deu mais uma função para seu espaço, a de buffet infantil. Bom, buffet não é bem a palavra, já que não havia música alta nem brinquedos eletrônicos. Ela e a Tuca, mãe da Chloe, criaram oficinas para comemorar a festa de 4 anos da Chloe. O colégio fica pertinho, mas disponibilizou uma kombi para levar as crianças da classe da Chloe até lá, a farra já começou no trajeto.
A Tuca, que é estilista, pediu no convite escrito à mão para as crianças levarem uma camiseta velha do pai ou da mãe. Ao cortar as laterais e amarrar um fio em cada lado da camiseta, surgiu um avental, que ainda ganhou uma menina/menino de tecido, que as crianças colaram. 
Avental pronto, cada uma ganhou bandana e foi para a bancada fazer um doce com morangos picados, brigadeiro branco e comum por cima. Algo bem simples com 100% de sucesso. Agradou a todos e cada um ainda levou a receitinha para casa.
Depois de comer o docinho, elas brincaram um pouco e logo foram cantar parabéns. Na mesa, lanchinhos e latinhas com balas. Um bolo de chocolate e cupcakes embalados, outra lembrancinha da festa.
As crianças se divertiram por duas horas. E eu fiquei pensando que não é preciso muito para agradá-las. Com criatividade e a presença dos amigos pode-se fazer uma festa e tanto. E viva a Chloe!

** O CantaGallo também está no Facebook, clique e curta para ler este e outros posts inéditos.

4 comentários: