22 de dez de 2011

Cheesecake Romeu e Julieta

É de bom tom levar uma colaboração para a ceia de Natal, pelo menos foi o que eu aprendi. Um agrado nunca é demais, certo? Se você ainda não pensou no que fazer para seu Natal, eis uma sugestão simples e diferente. Receita prática, do tipo coloca-tudo-no-liquidificador-e-bate. Eu, que sou chocolate addicted adorei, achei leve e mega saborosa. A goiabada fica pedaçuda e dá um gostinho de infância, que harmoniza muito bem com o sabor do Natal. Receita da cumadi Fran Jubran, que anda reinando por aqui esta semana corrida.

Cheesecake Romeu e Julieta
- 2 latas de leite condensado;
- 2 latas de creme de leite;
- 2 copos de requeijão;
- 2 saquinhos de gelatina em pó incolor;
- fatia grande de goiabada lisa/cascão;

Como fazer:
Dilua a gelatina em água, conforme a embalagem. Bata no liquidificador os ingredientes, menos a goiabada. Coloque em recipientes individuais - renderá 12 unidades -, ou em uma forma de aro removível. Leve para gelar. Enquanto isso, derreta a goiabada no fogo com um pouco de água. Quando a mistura estiver geladinha e firme, espalhe a goiabada por cima. Deixe gelar e sirva.

20 de dez de 2011

Tabule

Já faz alguns anos que, nesta época, reúno minhas amigas de infância para o almoço em casa. O encontro já virou tradição e, com o passar dos anos, agregados foram se unindo ao grupo. Como nós todas já temos filhos, fazemos um amigo-secreto das crianças, que é uma delícia. E um nosso também, claro. 

Sábado foi o dia de mais um encontro e, este ano, para facilitar a minha vida, enviei um email dando ordem a cada uma delas. Amigas de infância, que me conhecem há mais de vinte anos e sabem que eu adoro mandar. E elas são mesmo minhas amigas, queridas, pois me obedecem - sem fazer cara feia. =)

Decidimos por um almoço árabe, prático, saudável e que agrada a criançada. E cada uma trouxe um quitute. Fran-cisca, minha cumadi, agregada à turma, trouxe o tabule. Abaixo, a receita.

Tabule da Fran
O que usar:
- 45g de trigo para kibe;
- 3 tomates picados sem sementes;
- 1 cebola picada;
- 2 pepinos picados;
- 3 col. (sopa) de suco de limão;
- 2 col. (sopa) de azeite extravirgem;
- sal e pimenta do reino a gosto;
- 1/4 col. (chá) de noz-moscada;
- hortelã picadinha;
- salsinha picada;

Como fazer:
Deixe o trigo de molho na água por cerca de duas horas. Escorra e, se preferir, esprema-o com as mãos para retirar o excesso de umidade. Junte os outros ingredientes, tampe e leve para a geladeira por, no mínimo, duas horas antes de servir.
* Detalhe para minha toalha de caveira, sucesso de crítica e público. 

19 de dez de 2011

Pricake

Já faz um tempo que uma amiga querida apareceu em casa com essa caixa com mini-cupcakes. A caixa, em si, já é uma graça, de super bom gosto. Dentro, uma variedade de mini bolinhos, como os de cenoura com recheio de goiaba, coco com abóbora, chocolate com maracujá, rapadura, capuccino... São mais de trinta sabores, todos com 3,5 centímetros. Dá para comer como pipoca ou dar de presente para alguém querido neste fim de ano.
* Quem quiser reproduzir alguma receita, é só clicar no site da Casa e Comida. Lá tem a receita do bolinho de cenoura com goiaba.
** A Pricake fica na Avenida Higienópolis, 467. Há também opções de cupcakes kosher.

18 de dez de 2011

Freezing skull

Não posso ver algo com caveira que compro. Pode ser roupa, incluindo para minha pequena, que tem algumas peças, pode ser louça, tecido, qualquer coisa. Por isso, quando a Mari, minha irmã prendada, viu essas forminhas de gelo na Tok&Stok, comprou de presente para mim. As formas são lindinhas e um presentinho bacana para este fim de ano. Com os gelinhos, o copo de refrigerante fica muito mais divertido.

13 de dez de 2011

Sanduba de presunto cru e nozes

Aqui em casa não temos o costume de jantar, aquela coisa arroz e feijão, sabe? Na maioria das vezes, rola um sanduba mesmo, uma massinha e até cachorro-quente, que eu amo! Dia desses, juntei um monte de ingredientes deliciosos e fiz um sanduíche divino, com presunto cru, cream cheese, nozes, rúcula e tomate. Foi só colocar no pão fresquinho, regar com azeite e comer feliz. Ótima pedida para dias de calor. Calor que, espero, continue por aqui.

2 de dez de 2011

Conchiglioni com ricota, nozes e passas

Qualquer novidade, qualquer embalagem diferente, entra no carrinho de supermercado do marido. E o que fez ele trazer para casa esse pacote de conchiglione foi, sem dúvida, a linda embalagem, fechada com rebites. Daí, em um final de semana destes, daqueles sábados que passamos na cozinha, sem pressa, decidimos prová-la. Nunca tinha feito conchiglione, mas não é preciso ser muito esperta para  fazer, né? Enquanto cozinhamos a massa, al dente para menos, deixamos o forno pré-aquecendo e fomos fazendo o recheio e o molho.
Conchiglione de ricota com passas e nozes
O que usar:
Para duas pessoas
- 200 g de massa - usamos a marca Delverde, número 240;
- 200 g de ricota;
- 1 punhado de passas;
- nozes picadas;
- azeite para regar;
- sal e pimenta do reino.

Como fazer:
Amassar a ricota e misturar os outros ingredientes. Quando a massa tiver al dente para menos, retire e deixe-a esfriando. Com uma colher, recheie um por um. Acomode em uma travessa, cubra com molho - usamos o vermelho, que é o meu preferido - e leve ao forno com parmesão ralado por cima. Simples assim e delicioso.

1 de dez de 2011

Comida de astronauta

Há algum tempo, quando fiz uma matéria sobre Nova York para crianças, vi uma dica super bacana, a de que no Museu de História Natural vendia-se comida de astronauta. Não que eu tenha coragem de provar, pois, só de apalpar o pacote, dá para sentir a textura de isopor. Mas quando estive lá, não tive dúvida, trouxe alguns "pratos" para meu sobrinho-curioso. São várias comidas disponíveis, como banana, sorvete e alguns sanduíches - tudo com a mesma textura. O Léo gostou tanto que ainda nem abriu - e isso não deve ter lá algum problema já que a comida não deve ter prazo de validade, certo? Eu não vou provar, mas só de ver os pacotes fiquei com uma pena dos astronautas!

30 de nov de 2011

Garcia & Rodrigues

Por uma daquelas ironias da vida, o carioquíssimo Garcia & Rodrigues fechou seu tradicional ponto no Leblon e abriu uma filial em São Paulo, no novo Shopping Vila Olímpia. O Garcia & Rodrigues é uma espécie de brasserie/restaurante, com vitrines de encher os olhos, e serve desde lanches até pratos mais sofisticados.
Para pessoas-carboidratos como eu, a vitrine de pães é de chorar de emoção. Logo na entrada, os doces e os pães ficam à vista e, por ali, em uma ambiente super aconchegante, com muita madeira e piso de ladrilhos hidráulicos, são servidos pratos rápidos. Na minha primeira visita fiquei por ali e degustei um hot dog granfino delicioso, com salsichão, brie e mostarda Dijon.
Da segunda, acompanhada do marido, fomos provar os pratos do restaurante, que também é muito agradável. No centro do restaurante há uma ilha-bar, de onde saem várias caipirinhas de frutas. No cardápio, pescados, carnes e aves e massas, ou seja, de tudo um pouco, para todos os gostos.
O marido estava inspirado e escolheu a codorna ao forno com pêras e uvas e eu fui de... carboidrato, fettuccini com cogumelos.
Para facilitar a vida agora nas festas de final de ano, o Garcia & Rodrigues pode ser uma boa pedida. Eles também têm uma rotisserie e preparam patês, terrines, foie gras e canapés diversos. Delícia.

28 de nov de 2011

Festa bailarina da Maria Renata

No final de semana, minha filha Lorena perguntou quem eram minhas irmãs e eu respondi: tia Gabi, tia Mari e tia Fafá. Daí, em seguida, ela disse: As minhas são a Laurinha, a Vi e a Mazuca. Não com essa perfeição de conjugação, mas fato é que a Mazuca, apelido da Maria Renata, é uma das pessoas mais queridas por ela - e por todos de casa, claro. Sempre me ajuda com a Lola, apesar de ter apenas 10 anos. Ela é aquela menina delicada, que ama Barbies, girafas (!) e balé. Então, para sua festa de dez anos, não tinha como não ter o tema bailarina.
Mazuca tem sorte de ter uma mãe prendada, especialista em bolinhos e bolões - como se vê no Cupcakes da Cris. Daí já é mais da metade do caminho andado, não? A Cris fez tudo: bolo de chocolate delícia, cupcakes e minicupcakes, brigadeiro no potinho e na colher, com direito a lacinho de tule na ponta de cada colher. E a vó da Mazuca fez uma roupa nova para a boneca de pano, que deu charme extra à mesa.
A inspiração veio de vários blogs da internet, como o Chocolatria, incluindo o desenho fofo da bailarina equilibrando cupcakes - a cara da Maria. Os cupcakes ganharam wraps de bolinhas e enfeites de coroas e de sapatilhas.
Na mesa, uma toalha branca básica. As louças também eram neutras, pratos de aperitivos acomodaram docinhos. Para enfeitar, Cris e a tia Paty usaram algumas pétalas de rosa e muitos pompons de papel de seda. Um truque simples que faz o maior efeito - e substitui lindamente as bexigas. Aqui em casa, na Festa baiana de 2 anos da Lorena eu também usei esse truque dos pompons, só que em versão maior.
Detalhe para a gota de brigadeiro na colher e da mesa, com os pompons rosa de papel de seda.
De lembrancinha, cada convidado levou um cupcake delícia, bolo branco com recheio de geleia de morango, o preferido da Maria Renata. 
* Festa é sempre a melhor maneira de animar, não é não? Por isso, com a festa linda da Mazuca, eu sacudo a poeira do blog. =D

8 de nov de 2011

Home office de verdade

Quando eu e o marido projetamos nossa casa, criamos no projeto um espaço para o meu escritório, já que sabia que, a curto prazo, iria abandonar a redação para trabalhar em casa. Então, pensamos em um lugar isolado, onde ninguém pudesse me incomodar e eu pudesse me concentrar. Minha casa tem dois pisos: o térreo, onde fica cozinha, garagem, quintal e quartos, e, um segundo, onde está meu quarto e o meu à-prova-de-interrupções escritório, que, aliás, tem uma vista linda da cidade.
Mas a prática muitas vezes é diferente da teoria e, desde que minha filha nasceu e virou um ser andante e cheio de vontades, eu não conseguia mais me isolar. Ela gosta de me ter em seu campo de visão e não dava para ficar escondida. Então, passei a trabalhar na mesa de jantar - nada ideal. Até que o marido foi buscar na casa da avó dele uma escrivaninha antiga, abandonadinha, com pouco mais de um metro, e a reformou para mim.
Ela encaixou no quarto de hóspedes, que fica ao lado do quarto da pequena. A mudança foi a prova de que não é preciso de um cômodo exclusivo para montar um home office, nem muito espaço, não mesmo. A minha escrivaninha lindona tem gavetas bem fundas e, para empilhar as muitas revistas que tenho, uso e faço, o marido fez um nicho grande, que acompanhou o tamanho dela. Bem simples e ótima para guardar muitas revistas e ainda alguns cacarecos.

Não consegui ainda ter um home office clean daqueles de revista, sabe? Com bancada branca, um notebook e não mais do que quatro objetos sobre a mesa. Esse meu home office é de verdade, é lá que eu bato meu cartão e trabalho todos os dias - e alguns finais de semana também.
Para guardar meus cacarecos e quinquilharias, latas de manteiga Aviação (quem quiser, avisa, o consumo em casa é intenso!), latas de Campbell's, uma de ovo de Páscoa, que guarda as contas a pagar, e alguns bonecos, como o Lampião e a Maria Bonita, que me acompanham há anos, filmes de Lomo a revelar, e uma tentativa de coleção daqueles bonequinhos da nossa infância, sabe qual?
No andar de cima do nicho, alguns brinquedos, como a forca para momentos de stress, e outros objetos de madeira: aquelas casinhas em miniatura de Embu das Artes e uma escultura de um artista alagoano de um oleiro com uma pilha de tijolos. Na mesa, latas com muitas canetas, tesoura, marca-texto e minha coleção de lápis. Por enquanto, minha empresa tem menos de dois metros quadrados. É um bom começo.

7 de nov de 2011

Arroz à Palmirinha

À Palmirinha é a forma simpática de dizer que, na verdade, este é um arroz de sobras, arroz com cara de segunda-feira. Sabe quando você faz churrasco no final de semana e sobra um tico de linguiça, um tico de frango, umas fatias de picanha? Então, a minha experiência mostra que nunca sobra o suficiente para outro churrasco e é besteira congelar.

Um domingo destes raros de sol, o marido fez um churrasco para os amigos e sobraram alguns gomos de linguiça e coxas e asinhas de frango já temperadas. A saída foi fazer na segunda-feira um arroz, como aquele arroz com frango ou o arroz com suã, prato único, vapt-vupt, de sobfra sim, mas de sobra honesta, fresquinha e deliciosa.

Arroz à Palmirinha com frango e linguiça
O que usar:
Para 4 pessoas:
- 3 xícaras de arroz;
- 1 cebola grande picada;
- 2 tomates maduros picados;
- 500 g de asinha e coxa de frango temperada;
- 5 gomos de linguiça;
- cheiro verde;
- sal a gosto;

Como fazer:
Frite o frango em uma panela de fundo grosso com o mínimo de óleo possível. Quando ele tiver frito, jogue fora o excesso de óleo e refogue a cebola picadinha. Depois, junte o tomate e, depois de alguns minutos, o arroz. Reserve. Eu preferi fritar a linguiça separadamente, também para eliminar o excesso de gordura. Fritei os gomos inteiros até eles ficarem tenros. Piquei e fatias e fritei mais um pouco. Juntei ao arroz e coloquei seis xícaras de água e sal para fazer o arroz. Na hora que o arroz tiver al dente, desligue a panela e deixe o arroz descansar por alguns minutos.

3 de nov de 2011

Bolo de brigadeiro e ouro branco

Dá uma olhada no recheio, de brigadeiro e chantilly, bem cremoso e gelado. Eis mais um lindo bolo da minha boleira preferida, a Cris, especialista em bolinhos e bolões. Este aí da foto ela fez para o aniversário do marido. A receita do bolo de chocolate é aquela básica, com um truque que há tempos já aprendi com ela: creme de leite na massa, para ela ficar mais macia. Na cobertura, além de brigadeiro e chantilly, raspas de chocolate e bombom laminado. Vou confessar, enquanto eu não acabei com ele, eu não tive paz. Demorou quase uma semana, mas venci, devorei tudo. Recomendo.

Bolo de brigadeiro e ouro branco
O que usar:
Massa:
- 4 ovos;
- 4 colheres de sopa de margarina;
- 2 xíc. de açúcar;
- 2 xíc. de farinha de trigo;
- 1 colher de sobremesa de fermento;
- 1 xíc. de chocolate em pó;
- 1 caixa de creme de leite;

Como fazer:
Bata primeiro o açúcar peneirado e a margarina, até a mistura dobrar de tamanho. Acrescente os ovos inteiros. Ainda na batedeira, junte a farinha e o chocolate peneirado e o creme de leite, que vai deixar a massa molhadinha. Misture o fermento com uma espátula, sem bater, e leve ao forno (200º) em uma assadeira untada por cerca de 30 minutos.

Recheio:
O que usar:
2 receitas de brigadeiro:
- 2 col. margarina;
- 2 lata de leite condensado;
- 4 col. de chocolate em pó;
- chantilly (descubra aqui como fazer chantilly - com e - sem traumas);
- raspas de chocolate e bombom ouro branco (para decorar); 

Como fazer:
Após assar o bolo, deixe-o esfriando enquanto começa a fazer a cobertura. Quando o bolo estiver frio (para não despedaçar), corte-o ao meio. Faça o brigadeiro - manteiga+leite condensado+chocolate na panela. Bata o chantilly. Comece a montar o bolo com uma camada grossa de brigadeiro e, por cima, uma camada fina de chantilly. Guarde um pouco do recheio para cobrir o bolo. Monte o bolo e cubra com o restante de brigadeiro e de chantilly. Para finalizar, coloque raspas de chocolate e bombons ouro branco cortados bem fininhos. Leve para a geladeira e sirva depois de alguma horinhas.

30 de out de 2011

Quarto da Lorena menina

Lembram daquele Quarto da Lorena bebê? Pois ele se transformou em um quarto de menina, menina linda e moderna, se é que posso aqui desfilar minha falta de modéstia. Se no quarto antigo o Berço Vagão se destacava, agora é a vez da caminha, feita de madeira pinus reaproveitada. Essa madeira linda aí o marido comprou em uma fábrica, ela chegou ao Brasil embalando produtos de uma indústria da minha cidade. São contêiners e contêiners de madeira que vão para o lixo. Mas uma boa lixada - e a retirada de muitos pregos - deixaram ela assim, perfeita.
A cama de princesa-plebeia, feita pela Vila Nova Movelaria, é o grande destaque do quarto da minha pequena de quase 3 anos, mas há outros elementos charmosos, como as letras de patchwork que formam Lola que eu trouxe de Nova York, mais precisamente da loja dos sonhos Anthropologie. Sobre a mesinha rococó, que já fazia parte da decoração do antigo quarto, uma caixa vermelha com o primeiro tênis Vans, marca de skatista que o marido ama, que minha pituca teve. Para completar, boneca na caixa de tecido da ONG OrientaVida, que produz e vende objetos lindos e delicados.
A caixa ainda será pendurada, mas, enquanto eu não encontro o lugar ideal para ela, ela vai ficar ali sobre a mesinha. A parede do quarto continuou cinza, com o adesivo de galho e a gaiola de passarinho. O enxoval neutro também é o mesmo.
O tapete, o mesmo. E eu acabei eliminando a mesa lateral onde o baú de brinquedos ficava "acoplado". Assim, fica mais fácil acessar os brinquedos - e jogá-los de volta para lá. Nos ganchinhos de passarinhos agora eu penduro o capacete que ela usa para andar de bike e de skate com o papai e uma jaqueta coloridona, bem parecida com aquelas japonas que eu usava quando era criança.
O outro lado do quarto também ganhou cara nova, como um cantinho de brincadeiras e o mapa mundi que eu namorava desde quando estava grávida e comecei minha pesquisa de quartos de crianças em blogs de decoração. Na minha pastinha "Bebê" do computador deve ter ao menos umas cinco fotos de quartos com o mapa. Por isso, em Nova York, quando entrei na FAO Schwarz e vi logo na entrada uma caixa gigante com o mapa já peguei - para não largar mais, para desespero da minha partner. Como nós (ela também sucumbiu) iríamos trazê-lo deixamos para pensar depois. 
A FAO é aquela loja do piano gigante do filme Quero ser grande, lembram? Mas o piano é mero detalhe, a loja de 1862 tem quatro andares de brinquedos - e não me lembro de ver nenhum eletrônico, nem Barbies. Em uma seção da loja, casas de boneca de todos os estilos e mostruários de abajures, sofás, armários, moradores... Para meninas - e mães de meninas - ficarem doidas.

Teoricamente, o mapa ainda não é recomendado para a idade da Lorena, mas ela ama tirar todos os bichos e ficar me perguntando "esse onde é, mãe?" "O leão é no verde, na África, filha"; "A arara é no Brasil, o continente vermelho"; "O canguru é no rosa, na Austrália". Assim fica mais gostoso aprender, não? Ops, na foto, canguru e cavalo nadam pelo Oceano Ártico!
No cantinho das atividades, prateleiras e quadrinhos da mesma madeira de demolição da cama. A mesa, também feita pela marcenaria do marido, saiu da sala de TV e foi para o quarto. Assim, o tapete da sala, já cheio de massinha, ganhou sobrevida.
As prateleiras em U guardam cds, dvds, massinha, lápis e canetinha. O painel de EVA vai servir como tabela de carinhas de bom comportamento, com burricos felizes e tristes, e também como mural de fotos. Ainda não liberei as tachinhas e, por enquanto, tenho usado fita duplaface.
A obra de arte foi feita sobre tecido e foi o trabalho final da escolinha no ano passado. Na mini-prateleira, cds do Pequeno Cidadão, Palavra Cantada, Partimpim, Música de Brinquedo, do Pato Fu, Saltimbancos, Arca de Noé e o caminhão de brinquedos da FAO.
Preciso dizer se Lola gostou do quarto? Eu só sei que eu invejei, queria ter uma cama destas para mim. Prova que o quarto ficou super aconchegante é que agora Lola passa muito mais tempo nele, brincando - e pulando.

* Fotos minhas e da querida Rebeca Protta.