29 de mai de 2013

CantaGallo no Facebook

Demorou, deu tempo de eu entrar no Facebook e quase pegar bode dele. Mas eis que surgiram as fan pages. E, em vez de ficar lendo na minha timeline aquelas frases de auto-ajuda que alguns dos meus amigos queridos adoram postar, eu agora curto páginas de blogs de mães, de viagens, lojas e pessoas que acho interessante. Oculto as postagens dos amigos e ganho espaço para artigos de jornal, receitas gostosas e, claro, diquinhas de compras e lugares para passear.
Foi por isso que, há um mês, estreei a fan page do Cantando de Gallo. Lá eu coloco não só o link dos posts aqui do blog - novos e antigos - como, quase que diariamente, outras besteirinhas deliciosas de se descobrir, como as máquinas de tattoo fakes da Tattly que circulam pelas ruas de NY, móveis descolados para quartos de crianças e alguns faça-você-mesmo. Interessou? Então clica aqui, curta a página e aguarde as novidades exclusivas na próxima semana. Férias aqui vamos nós!
Esta história de seguir uma pessoa/blog é o mote principal do Instagram e eu também estou por lá. Quem já aderiu pode encontrar eu e minhas fofuras no @regallo_ 

28 de mai de 2013

Madri com crianças

Eu amo Barcelona e, por amar Barcelona, achava que não seria capaz de gostar de Madri. Aqueles mesmos pensamentos mesquinhos que dizem que quem ama São Paulo não pode amar o Rio. Pois eu já descobri que amo Rio e São Paulo há algum tempo, mas faz um ano que me apaixonei por Madri. Na hora de fazer meu roteiro de viagem, chegar à Europa por Madri era o que fazia mais sentido e, confesso, não fiquei muito empolgada. Mas ser surpreendida é uma das melhores coisas da vida de turista, não é? Ou melhor, da vida.
Alguns amigos tinham me dito que Madri é uma cidade grande. Mas, pera aí, eu morei em São Paulo por 13 anos, fica bem difícil achar outra cidade grande. Madri é sim linda, charmosa, com muitas e muitas atrações para as crianças! Passamos quatro dias incríveis e fizemos o roteiro tradicional e uma surpresa extra. Mesmo com a Lorena, com 3 anos, fomos aos dois grandes museus: o Museu do Prado e o Reina Sofia, onde está Guernica, uma das grandes obras de Picasso. O Reina Sofia é relativamente pequeno, com um pátio interno bem acolhedor. Já o Prado é grande, mais cansativo para crianças, mas, ao lado dele, há o Real Jardín Botanico e seus canteiros de tulipas.
Fomos também ao Palácio Real que, consta, tem mais de 4 mil cômodos e é considerado o maior da Europa. Até achei que não aguentaríamos visitar tantas salas, saletas, salões, mas a Lorena amou! Isso graças a minha criatividade e a do marido que, a cada ambiente, inventávamos uma função. "Aqui o rei recebia seus amigos, aqui namorava a rainha...", "Aqui a rainha tomava o café da manhã, aqui o almoço, aqui o lanche da tarde...". E fomos que fomos. Os pontos mais altos foram a sala do trono (óóóóó...) e a sala de jantar com, sei lá, centenas de cadeiras.
Na frente do Palácio Real ainda há, como em quase todos as praças de Madri, um parquinho - divertido, bem conservado e cheio de crianças. Por lá ficamos mais de uma hora, uma delícia. Mas a praça que ganhou meu coração foi a Plaza Santa Ana. Nela há dois parquinhos pequenos, mas v-á-r-i-o-s restaurantes e bares. A dica é escolher uma mesa próxima do parque e passar algumas horas por ali entre sangrias e presuntos.
A grande descoberta da viagem ficou pela Casa de Campo do rei. Foi do pátio do Palácio Real que avistamos no horizonte um teleférico. Era já o final da tarde, mas turistas animados que somos, fomos andando até ele. E foi a melhor coisa que fizemos. Do cable car se tem uma vista linda da cidade! O teleférico é fechado, acomoda 4 pessoas e dá até para levar o carrinho dentro dele.
Já na casa de campo, hoje o maior parque da cidade, descobrimos que lá há um parque de diversões enorme e um zoológico e aquário. Nós não conseguimos ir, mas minha cumadi que visitou a cidade logo depois de mim foi e super aprovou. Tem ursos Zé Colmeia, pandas, leões, pinguins e até show de golfinhos e leões marinhos. No zoo dá para alugar carrinhos e também há parquinhos.
O parque é bem grande, quase dois mil hectares, e me informaram que há nele ônibus que levam os turistas de um lado para outro, mas vale checar horários coisa e tal. Também é possível chegar ao parque e ao zoo de metrô facilmente, mas o teleférico, tenho certeza, é o meio mais charmoso. Passeio para crianças de todas as idades.

*** Na primeira foto, Lola em Madri fazendo amizade no ponto de ônibus. Bom lembrar que passeios simples também podem ser muito divertidos. Lola andou muito de ônibus, metrô e trem, o que não fazemos normalmente. Agora disse que só falta andar de barco! 

27 de mai de 2013

Eierschalensollbruchstellenverursacher!

Adoro descobrir utilidades - e inutilidades - domésticas naquelas seções de cacarecos das lojas bacanas de utensílios. Há bons anos descobri esta tesoura para ovo quente. Eu não só não gosto de ovo quente, como não gosto de ovo frito, cozido, omelete e qualquer outro derivado. Mas marido ama e faz parte do ritual dele - e, às vezes, da Lorena - comer ovo quente diariamente.
Esta tesoura é a segunda que comprei na Spicy, custa cerca de R$ 40, e é super prática. A primeira durou quase 3 anos, enferrujou e comprei uma nova. Mas, apesar disso, toda vez que o marido ia na casa de uma amiga, ele invejava a engenhoca alemã de quebrar ovos. Era tão nítido que, recentemente, ele acabou ganhando uma de presente, Made in Germany.
O nome não é dos mais fáceis de se lembrar: eierschalensollbruchstellenverursacher! Mas o funcionamento é bem simples, é só encaixar a base cônica da haste de ferro no ovo, levantar e soltar a bolinha de peso para o ovo ser quebrado certinho. CLACK! É o barulho matinal aqui de casa. No site da Take 2 Design ainda dá para conhecer outras engenhocas divertidas, como diversos modelos de quebra-nozes, cortadores de castanha portuguesa (!) e abridores de garrafas. Coisas de louco, mesmo.
*** O CantaGallo também está no Facebook, sabia? Clique e curta aqui para ler este e outros posts inéditos. Até lá!

23 de mai de 2013

Aprendendo a desenhar

- Mãe, desenha para mim? E lá vou eu com a minha menina palito e minha casinha achatada, com chaminé, montanhas, nuvens, árvore com maçãs e sol. Aos 34 anos este é o nível máximo que alcancei no quesito educação artística. Nunca fui das artes, mas também nunca fui estimulada a desenhar. Por isso adorei este livro que me foi apresentado por minha amiga Débora Beterraba. Outro dia, aqui em casa, na mesa se reuniram crianças de 4 a 11 anos, todas desenhando com o passo a passo de Ed Emberley.
Os livros Desenhando animais, Desenhando faces, Desenhando monstros e Desenhando com os dedos (Panda Books; R$ 30, em média) ensinam qualquer mortal a desenvolver seu traço. Tudo de maneira bem simplificada, agregando formas geométricas até surgirem o leão, o gorila, o jacaré... Lorena, aos 4 anos, já consegue fazer vários deles. Assim, quem sabe ela chegará aos 30 com um repertório melhor do que o da mãe.
"Para o garoto que eu fui, o livro que nunca encontrei", escreve o autor na primeira página. Super recomendo!

** CantaGallo também está no Facebbok, clique e curta para ler este e outros posts inéditos.

15 de mai de 2013

Bolo de fubá com goiabada

No verão não dá tanta vontade de comer bolinho como no outono e no inverno. Estes dias de céu azul até eu, que não gosto de café, fico com vontade de fazer uma pausa na tarde para um coffee cake, no meu caso sem coffee! Esta receita de bolo de fubá com goiabada é uma delícia. Ao tirar do forno os pedacinhos de goiabada ainda ficam molinhos. Testa aí para ver como é bom!
Bolo de fubá com goiabada
O que usar:
- 3 ovos;
- 1 xíc. de óleo;
- 1 xíc. de açúcar;
- 1 xíc. de fubá;
- 2 xíc. de farinha de trigo;
- 1 lata de leite condensado;
- 1/2 lata de goiabada (a outra metade dá para congelar);
- coco ralado para decorar;

Como fazer:
Bata todos os ingredientes, menos a goiabada, na batedeira. Depois de misturado, corte a goiabada em cubos e passe os pedacinhos na farinha de trigo. Despeje a massa na forma untada e enfarinhada, jogue os cubinhos de goiabada por cima e leve ao forno já pré-aquecido por cerca de 30 minutos.

9 de mai de 2013

Fábrica de Cultura e os 4 anos da Chloe

A Soraya, idealizadora da Fábrica de Cultura Santo Antonio, é daquelas criativas natas. Antes da internet, antes de ter este monte de blog de decoração para a gente se inspirar (e copiar...), ela já fazia coisas lindas, instintivamente. Herança do pai artista e criatividade e bom gosto que já transcenderam mais uma geração.
Há menos de um ano ela decidiu transformar um barracão onde antes funcionava a marcenaria de um amigo em um espaço dedicado a cultura. É um lugar simples, onde todo mundo se sente à vontade, seja para comer um bolo caseiro, para tomar uma cerveja dentro ou nas mesas que ficam na calçada larga, de frente a uma avenida bonita de Tatuí.
Naquele estilo cacareco para todo lado, a cada visita descobre-se algo novo. Pelo amontoado de coisas e também porque ela não se aquieta e vive acumulando mais e mais. E vendendo o que o cliente quiser, sem apego. Os móveis mudam de lugar, as exposições de artistas da região entram e saem e, há alguns meses, quase todos os dias a Fábrica de Cultura virou point de músicos. Tem a turma do jazz, da MPB, do samba e dos chorinho e até do hip hop, dependendo do dia.
Coleções de óculos Ray Ban, de rádios antigos, de máquinas fotográficas, de tranqueiras do Mc Lanche Feliz da sua filha Sofia, tudo tem espaço. Até um par de patins 80tinha! Quando vi na vitrine quase briguei com a minha mãe por ter me convencido a doar o meu. Iria ficar demais na minha sala e ainda daria para eu me exibir, com provas, para minhas filhas.
Semana passada, a Soraya-mente-aberta deu mais uma função para seu espaço, a de buffet infantil. Bom, buffet não é bem a palavra, já que não havia música alta nem brinquedos eletrônicos. Ela e a Tuca, mãe da Chloe, criaram oficinas para comemorar a festa de 4 anos da Chloe. O colégio fica pertinho, mas disponibilizou uma kombi para levar as crianças da classe da Chloe até lá, a farra já começou no trajeto.
A Tuca, que é estilista, pediu no convite escrito à mão para as crianças levarem uma camiseta velha do pai ou da mãe. Ao cortar as laterais e amarrar um fio em cada lado da camiseta, surgiu um avental, que ainda ganhou uma menina/menino de tecido, que as crianças colaram. 
Avental pronto, cada uma ganhou bandana e foi para a bancada fazer um doce com morangos picados, brigadeiro branco e comum por cima. Algo bem simples com 100% de sucesso. Agradou a todos e cada um ainda levou a receitinha para casa.
Depois de comer o docinho, elas brincaram um pouco e logo foram cantar parabéns. Na mesa, lanchinhos e latinhas com balas. Um bolo de chocolate e cupcakes embalados, outra lembrancinha da festa.
As crianças se divertiram por duas horas. E eu fiquei pensando que não é preciso muito para agradá-las. Com criatividade e a presença dos amigos pode-se fazer uma festa e tanto. E viva a Chloe!

** O CantaGallo também está no Facebook, clique e curta para ler este e outros posts inéditos.

8 de mai de 2013

Spaghetti com camarão e rúcula

Eu devia ter uns 10 anos quando, em um dia das mães, meu pai teve a feliz ideia de ir para Aldeia da Serra comemorar a data com minha mãe e minhas três irmãs. Sem reserva! Naquela época, no século passado, nem havia internet e era mesmo difícil localizar telefones, endereços e afins. O que era igual hoje é que, em datas especiais, os restaurantes lotam, capacidade máxima.

Depois de duas tentativas em restaurantes distintos, muito stress e chororô, voltamos para Tatuí, famintos! Não me lembro o que comi, só sei que, no dia das mães, minha mãe teve de, às pressas, fazer um almoço improvisado. Foi uma data inesquecível, memorável! Aprendemos na marra que é melhor garantir um almoço gostoso em casa a ficar em filas intermináveis de espera. 

Acho gostoso comer em casa, mas ruim ficar na cozinha horas e horas. Por isso resgatei dos meus arquivos secretos esta receita rapidex: spaghetti com camarão e rúcula. Simples, prática e saborosa. Precisa de mais?

Spaguetti de camarão com rúcula
Para 4 pessoas
O que usar:
- 8 dentes de algo laminados;
- azeite;
- 1/2 maço de rúcula;
- 600 g de camarão limpo e temperado;

Como fazer:
Com os ingredientes separados, são 10 minutos de preparo, no máximo. Com a água fervendo, coloque a massa na água. Em uma frigideira alta, despeje azeite e doure o alho laminado. Junte os camarões, anteriormente temperados com limão, sal e pimenta do reino. Quando os camarões estiverem rosados e a massa al dente, escorra a massa e junte o spaghetti na panela/frigideira dos camarões. Misture bem e acrescente a rúcula. Sirva rapidamente com parmesão ralado na hora. Se tiver uma tacinha de vinho para um brinde especial, melhor ainda. Feliz dia das mães.

** ANTES TARDE DO QUE NUNCA: o CantaGallo, finalmente, está no Facebook. Clica e curte aqui para ler estes posts e outro inéditos que estou colocando lá. 

7 de mai de 2013

Rock para pequenos

Toda vez que Lola abre a gaveta do armário do marido para escolher uma camiseta para ele, quase sempre ela escolhe a dos Beatles. Daí vem o marido e fica fazendo chamada oral com ela, perguntando quem é o Paul, o Ringo, o John... Mas agora a vida da Lola (e a minha também!) vai ficar mais fácil. Dia desses achei essa fofura de livro, Rock para Pequenos, de Laura D. Macoriello, com ilustrações de Lucas Dutra (Edições Ideal; R$ 39, em média).
O livro fala de forma simples de 13 ícones do rock'n roll. Elvis, Janis Joplin, Steve Harris, Chuck Berry... Tudo com textos sem firulas, pá-pum. E, em cada um deles, há uma "lição de moral" para os pequenos, digamos assim. Ao falar que Jimi Hendrix tocava guitarra até com os dentes, por exemplo, a autora fala que seus dentes eram muito fortes, por isso a importância de escová-los. Se bem que eu duvido que ele os dentes dos Jimi fossem tão limpinhos assim, mas isso não importa, né?
Na página do David Bowie, a ilustração mais fofa na minha opinião, ela conta que David tem cada olho de uma cor: um castanho e outro azul, e a importância de se respeitar as diferenças. Livro delícia de se ter e guardar. Fácil de rolaar até uma disputa de quem vai lê-lo para a criança na hora de dormir!
* Para ficar perfeito, só precisava ter, ao final do livro, um CD com clássicos desta tchurma toda. Imagina que bacana! 

** ANTES TARDE DO QUE NUNCA: o CantaGallo, finalmente, está no Facebook. Clica e curte aqui para ler estes posts e outro inéditos que estou colocando lá. 

5 de mai de 2013

Pintura solidária no domingo no parque

Algumas vezes já discuti com amigos o motivo das praças e clubes das cidades, antes lotados de pessoas e convivência, hoje estão às mínguas. Quase sempre chego a conclusão que é por causa destes prédios complexos multiusos, que reúnem piscina, espaço gourmet, espaço kids e preenchem todo o espaço que deveria ser do acaso, do encontro. Por isso, mesmo aqui no interior, morro de inveja das minhas amigas que estão aderindo a esta onda occupy centro de São Paulo. Passeios e atividades culturais e gastronômicas no Anhangabaú, no Minhocão...!
Em Tatuí, a tal da capital da música, como dizem, quase todo sábado tem música na praça. E quase sempre estou lá com a família toda. Anita, aos 10 meses, já bate palma ao ver a orquestra e não pisca em peças de teatro. Sempre prestigio as apresentações, o teatro mambembe que tem surgido por aqui com a divertida Nossa Trupe Teatral, o museu da cidade... Enfim, sou daquelas que acredita que toda forma de arte vale a pena.
Corta! Tudo isso para eu chegar em Sorocaba, no bairro do Campolim, onde eu me deparei hoje com um projeto delicioso, o Pintura Solidária, que leva oficina de pinturas para adultos, crianças e idosos em instituições carentes. Tudo sem custo algum. Aos domingos, no entanto, eles distribuem pinceis e tintas sobre mesas no parque do Campolim. Daí, quem quiser, paga R$ 15 e escolhe uma das dezenas de telas, com ou sem desenho de esboço, para pintar e ajudar a ONG.
Lorena e Laura escolheram pintar uma bailarina e eu também não resisti e pintei minha primeira tela, aos 34 anos. Pensando ser de uma das meninas, a obra de arte até recebeu elogios! =)
Os voluntários mantêm a mesa organizada, auxiliam com noções básicas de pintura, se preciso, e, ao final, duas meninas finalizam a tela fazendo o contorno do desenho com tinta preta, o que é capaz de deixar qualquer borrão muito mais simpático. Abaixo, as quatro lindas bailarinas.
Na manhã de hoje fazia parte do cenário também redes penduradas nas árvores, um show de MPB e crianças e adultos se exercitando pelo parque.
Um dos carrinhos do Vai e Vem, uma biblioteca itinerante onde é possível emprestar livros sem burocracia alguma, estava estacionado por perto. Mais um ponto para Sorocaba.
No parque também há, aos finais de semana, imagino, algumas barraquinhas de artesanato, uma de suco natural e uma de caldo de cana. Andando por lá ainda dá para encontrar uma diferente espécie de arbusto, a que produz papeizinhos com poesia. Para ler e se alimentar sempre que possível.
* Aqui no CantaGallo também já escrevi sobre outro projeto de leitura bem bacana, o Histórias em Movimento. 

** ANTES TARDE DO QUE NUNCA: o CantaGallo, finalmente, está no Facebook. Clica e curte aqui para ler estes posts e outro inéditos que estou colocando lá. 

3 de mai de 2013

Fazenda Capoava

Algo me diz que outono combina com sítio, com passeio a cavalo, cheiro de mato, balanço na rede e orvalho na grama. Deve ser uma daquelas memórias afetivas que acumulamos ao longo da vida. Com vontade de fazer um passeio diferente, no último feriado comecei a pesquisar hotéis no interior de São Paulo para passar o dia assim, sem pressa.
Já tinha lido várias vezes sobre a Fazenda Capoava, que fica na estrada que liga Itu a Jundiaí. Liguei e perguntei se era possível fazer reserva no restaurante e aproveitar um pouco o dia por lá. Fiz a reserva e lá fomos nós. A fazenda faz parte do Roteiro de Charme e é mesmo muito agradável.
No casarão principal fica o restaurante, que serve comida caseira. Ao lado há uma pequena piscina com várias espreguiçadeiras e vista para o lago. Depois ficam as cocheiras, um bar espaçoso com várias redes penduradas na varanda, sofás confortáveis, salas bem decoradas e até um fogareiro no chão de tijolão rústico, que deve ser acendido em dias frios.
As crianças podem brincar, sem custo algum, com os monitores, que são bem atenciosos. Passear a cavalo, caiaque, bote e há, para adultos, bicicletas para trilhas - atividades pagas.
Fazendo a reserva no restaurante, não se pode usar a piscina, nem a sauna e quadra de tênis. Nós fizemos a reserva no restaurante, mas acabamos comendo no bar da cocheira, que tem cardápio de porções, sanduíches, saladas e grelhados. Apesar de ser um ambiente delicioso, o atendimento foi bem ruim. As porções e pratos demoraram muito além do razoável e ainda houve troca de pedidos, enfim, uma pena. Talvez almoçar no restaurante, que é self service (R$ 79 para adultos e R$ 36 para crianças acima de 5 anos), fosse a melhor pedida.
Tirando a decepção com a comida, tudo foi ótimo. Lorena, pela primeira vez, andou a cavalo (R$ 50 a R$ 120), de bote e ainda nadou no rio. Viu os cavalos tomarem banho, se sujou a beça e voltou no carro acabada, dormindo.
 
O hotel ainda tem o pacote day use para até 5 pessoas que funciona das 9 às 16h30. Com ele, fica disponível ao custo de R$ 336 um quarto de apoio e é possível usar piscina etc. Mas as atividades extras são pagas - mesmo para quem está hospedado no hotel. (R$ 1.888 pacote de sexta a domingo com pensão completa).
Além dos cavalos, há uma ilha com macacos, galinhas e patos soltos pela fazenda. Muitos bancos sob as árvores. Tranquilidade e ar puro para curtir um destes dias de céu azul de outono.
** ANTES TARDE DO QUE NUNCA: o CantaGallo, finalmente, está no Facebook. Clica e curte aqui para ler estes posts e outro inéditos que estou colocando lá.