25 de set de 2011

Catavento Cultural

A ideia era ir para a praia, mas minha personal meteorologista me informou que o tempo estava péssimo por lá. Com preguiça de subir e descer as ladeiras do zoológico e procurando por um programa que não fosse o parquinho do Ibirapuera (que eu amo), me lembrei de um post do blog da Mari, o Mãe de Rua, onde ela falava sobre como é bacana o Catavento Cultural, museu da ciência que fica lá no centro de São Paulo. A Mari é uma amiga dos tempos de Estadão e nós duas temos filhos praticamente da mesma idade, por isso, sempre fico esperta nos posts e nas dicas que ela escreve.
O Catavento Cultural é um espaço relativamente novo que ocupa o antigo prédio da Prefeitura, o Palácio das Indústrias, que todo mundo adora falar que é horrível. É meio estranho sim, fica ao lado do Parque Dom Pedro, um lugar feioso, sim, mas o tal do museu interativo é muito bacana. Programa perfeito para pais e filhos. Afinal, nada mais chato do que ficar vendo seu filho brincando na piscina de bolinha, não é? Lá no Catavento dá para adulto se divertir junto - e relembrar os tempos do colégio.
A indicação do museu é para crianças acima de 7 anos. Lorena tem dois e meio e isso não a impediu de brincar e fazer chororô na hora que falamos que íamos embora. Não é preciso saber o que é uma mitocôndria para tirar proveito das quatro seções do Catavento: universo, vida, sociedade e engenho. No pavilhão do Universo passamos rápido, mostramos as estrelas, os planetas, como o sol é incandescente. Na Vida ela se ateve ao aquário de peixes, às centenas de borboletas coloridas, ao bicho pau e ao peixe leão, coisa feia, que estava no aquário de peixes venenosos.
A parte mais bacana, sem dúvida, é a Engenho, que, logo na entrada, tem a Sala das Ilusões, uma espécie de mini-casa maluca do Playcenter. Lembram como era divertido ver a bola subir ao invés de descer, de não conseguir encostar as costas e os calcanhares na parede (que não parece mas é) íngrime? Lorena amou jogar água cor de rosa na canaleta e ver que a água subia. Ao fundo, cadeira para papai e filhinha se sentarem e tentar se levantar.
Daí, enquanto eu já estava achando o museu um super programa legal, me deparei com esse Portinari aí da parede. Dá para apreciar o quadro enquanto seu filho tenta levantar um adulto com a ajuda da alavanca.
Os cabelos fininhos da Lola se arrepiaram rapidinho assim que eu encostei na bola de eletromagnetismo, para alegria dos estudantes que estavam por lá. Aliás, t-o-d-a-s escolas deviam ir ao Catavento, é uma super aula prática de biologia, física, química e ciência. Como eu me lembrei da minha professora de biologia ao ver os cromossomos, os vírus, como é o ouvido internamente, como são feitas as vacinas, como as plantas se alimentam. Muito bacana.
E que criança não gosta de bolha de sabão, não é? A Mari já tinha falado da engenhoca que produz bolhas de sabão gigantes que tem por lá. Comprovado e aprovadíssima. É só entrar na "máquina", mexer o "bambolê" na água com sabão que fica em volta e puxar a corda para se sentir dentro de uma cápsula de bolha de sabão. O máximo. Na mesma seção, Fluídos, ainda há um tanque e varetas de diversas formas para as crianças brincarem de bolha de sabão.
Mas foi na sala de Luz e Óptica que a Lorena pirou. Espelhos que nos deixam magrinhas (deviam comercializá-lo!), gordinha, como é formado o arco-íris e a incrível sala dos espelhos. Ela entrou e se encantou com as outras cinco Loreninhas lindas que tinham lá.
Logo entendeu a brincadeira e começou a fazer roda-roda com suas gemeazinhas - com direito a caranguejo peixe é! Na sequência, ministrou uma aula de balé completa para suas aluninhas: borboletinha, esconde a borboletinha, cabeça no pé, pé para cima, pontinha de pé... Só por isso já valeria o passeio.
No entorno do Catavento ainda há um avião e trens de verdade e muito espaço para correr. Por lá há também a máquina de cochicho (a foto lá no alto), capaz de transmitir o som a uma distância de trinta metros. Depois de duas horinhas divertidíssimas, agora, faço coro junto com a Mari: recomendo o Catavento sem piscar nenhum olho.

* Se você não se lembra o que é uma mitocôndria ou quer se divertir feito criança, o Catavento Cultural fica aberto de terça a domingo, das 9 às 17 horas. O ingresso custa R$ 6. Para o passeio ficar ainda mais gostoso, na saída, dê um pulinho no Mercadão, que fica ali ao lado, e coma um sanduba de mortadela!

8 comentários:

  1. Rê, as fotos ficaram lindas! Preciso levar o Leleco!
    bj

    ResponderExcluir
  2. Ohn, que fotos lindas! Adorei ela fazendo roda com ela mesma, hahaha! Que figura :)
    E que ótimo que ela se divertiu - e vocês também!
    Se perderam muito pra chegar? Eu me perdi super, wuahaha!
    E outro dia eu fui na Estação Ciência, que deveria ser algo parecido com o Catavento. #Fail total. Não ficamos nem meia hora. Tudo me lembrava um pouco trabalhos de escola... Uma pena.
    bjos pra vc e pra todas as Loreninhas ;)

    ResponderExcluir
  3. Fran, precisa mesmo!! É muito legal, nós amamos.

    Mari, é a Estação Ciência da Lapa, né? Eu me lembrei dela quando vi seu post, mas quando fui, nos tempos de Estadinho, tb não achei muito legal.
    Eu só me perdi um pouco porque sempre vou na 25. Aliás, saímos de lá e fomos almoçar sanduíche de mortadela no Mercadão... rs

    Mas o lugar é feioso mesmo, né? Mas vale muito. Precisamos fazer campanha para as escolas levarem os alunos lá. Fomos na sexta e achei meio vazião, apesar de ter alguns ônibus no estacionamento.

    Beijos Mari e Francisca!

    ResponderExcluir
  4. tudo por ser lindo, mas nada supera a bela Lorena. bjs

    ResponderExcluir