8 de mar de 2011

Lá da Venda

Estava precisando de uma boa desculpa para conhecer o Lá da Venda e consegui. No fim do ano passado, fazendo uma pesquisa de lugares coloridos para um trabalho, fui lá na Vila Madalena e chamei a Fran para descobrirmos o que é que tinha de bom na venda da Heloísa Bacellar. A Helô é chef, escritora, foi fundadora do Atelier Gourmand, mas, além de tudo, é uma pessoa apaixonada pelas coisas simples e boas da vida. E isso inclui lenços e toalhas bordadas, geléia de frutas, bules e canecas de ágata, bilboquê, ioiô, queijos da Serra da Canastra, alpargatas, bonecas de pano, estojo de lápis, cestas de palha... Uma infinidade de coisas que agora estão concentradas em sua loja-restaurante.
O colorido do Lá da Venda está, principalmente, no móvel que ela comprou de uma antiga farmácia de Perdizes e mandou pintar de roxo. Mas também nas centenas de objetos que ela garimpa pelo Brasil. Para se ter uma ideia, ela pediu para uma empresa da Paraíba criar canecas e bules de ágata em cores vibrantes, como roxo e laranja, especialmente para a loja. Agora ninguém pode reclamar que na cidade grande não tem as coisas boas que se têm no interior.  
É claro que a venda da Helô entrou na minha pauta e, conversando com ela, ela me disse que, apesar de sua paixão por gastronomia, nunca pensou em abrir apenas um restaurante. Queria juntar sua paixão pela culinária e pelo artesanato. Queria um armazém, como os de antigamente, mas com uma cara contemporânea. No jardim dos fundos, ela criou um jardim vertical com latas de alimentos que já foram fotografados para várias revistas. Simples e lindo.
No cardápio, pratos de mãe que mudam a cada dia. Um dos poucos pratos fixos é o pastel caipira e a canequinha de ágata com azeitonas verdes, que chega à mesa tão logo você se senta. Mas para chegar ao quintal do restaurante é preciso ser forte e passar pela vitrine de doces e salgados que exibem bolos divinos, tortinhas, o premiado pão de queijo da casa, que leva queijo da Serra da Canastra, polvilho de Conceição dos Ouros, ovos de galinhas criadas soltas e felizes e farinha de moinho artesanal. Tudo lá na venda é assim, naturalmente natural, se é que vocês me entendem.
De uma forma ou de outra, você será feliz. Mas, sendo firme, você consegue chegar ao quintal onde ficam algumas mesas e abrir o cardápio para escolher entre as opções do prato do dia. Eu escolhi o filé de namorado com legumes, essa maravilha da foto aí de cima. A Fran foi de picadinho e nós duas quase morremos de tantos "hums" que fizemos. Comida saborosíssima! Só voltamos a conversar quando demos a última garfada e o assunto foi... a sobremesa!
Entre picolés e sorvetes preparados diariamente com leite e creme de leite puros, queijo com goiabada cascão, marmelada, bananada, manjar branco, mosaico de gelatinas, maria-mole e frutas da estação, a Fran foi de creme de manga com coco.
E e eu comi um dos chocolates mais saborosos da minha vida, o orgânico AMMA. Esse creme de chocolate com sorvete de baunilha de verdade é uma coisa de doido.
Depois do nosso almoço incrível, nós pagamos a conta (cerca de R$ 60 per capita) e descemos a Rua Harmonia quase rolando, mas felizes da vida. E é isso que vale, não é não?

* O Lá da Venda fica na Rua Harmonia, 161. Tel.: 3037-7702.

Um comentário: