4 de jul de 2011

Bar 6

Sabe quando você está de folga e não quer planejar a hora em que vai tomar café da manhã, almoçar ou jantar? Isso acontece com frequencia quando eu viajo e nem sempre me lembro de checar a que horas o restaurante em que quero ir fecha ou se ele serve só almoço ou jantar... Em Buenos Aires, um restaurante-café-bar para se ter na manga é o Bar 6, na Calle Armenia, em Palermo. Ele abre de segunda a sábado às 8 da matina, sem hora para fechar. Lá, você chega e opta se quer a carta de café da manhã, de almoço ou jantar. Praticamente um paraíso para turistas!
Com apenas duas janelas para a rua e uma porta preta, de ferro, dá para passar por ele quase despercebido. Mas a entrada discreta esconde um enorme barracão, que consegue ser rústico e aconchegante ao mesmo tempo. A frieza das paredes de tijolo aparente e de cimento é quebrada por uma grande tapeçaria, pendurada logo na entrada, e por tapetes e poltronas de cores fortes, no melhor estilo rococó. O clima é tão descontraído que muita gente se sente em casa - e até tira os sapatos (no dia em que fui lá duas pessoas estavam descalças, largadas nos sofás e nas poltronas!). O público é o que trabalha nos arredores, muita gente aproveita para fazer ali, entre um café e outro, a reunião e não é difícil você se sentar ao lado de produtores de comerciais analisando fotos de casas para locação e storyboards. Palermo Hollywood, a parte do bairro repleta de produtoras e estúdios de rádio e TV, está ali ao lado, afinal.
O cardápio reflete o ambiente e é bem eclético. Saladas, massas, carnes.... A entrada é das mais simples, mas merece destaque: pães frescos com um patê* de beterraba de lamber os beiços. A nossa vontade era de almoço, por isso o marido foi de um clássico portenho, ojo de bife con salsa de mostaza a l'ancienne y pure rustico de papa y ajo e eu não me arrependi quando espichei o olho no prato da mesa vizinha (adoro fazer isso!) e quis um igualzinho: wok de arroz, vegetales y pollo. Divino, uma espécie de yakisoba mais natureba, com o arroz e os legumes al dente. Para acompanhar uma Quilmes e, de sobremesa, um belo mousse de chocolate meio amargo com farofinha de castanha. Para ir sempre, a qualquer hora.
* O patê, que não era patê, é feito somente com beterraba cozida triturada no processador com sal, pimenta e ervas frescas. Servido geladinho, é uma opção gostosa e saudável. Olha o que restou dele no fundo da foto do wok. Olha que cor linda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário